17 de jul de 2012

Festival do Japão 2012

Sempre quis conhecer o Festival do Japão, que acontece a cada ano nessa época, em São Paulo. Dessa vez, consegui uma brecha e fui conferir a edição de 2012, no Centro de Exposições Imigrantes (o mesmo lugar do ano passado). O Festival do Japão conta sempre com estandes de diversas atividades, desde ikebanas, cerimônia do chá, aulas de japonês, aulas de mangás até grandes estandes de empresas como a Toyota e a Honda. Havia um estande chamado "Akiba 3.0", onde a criançada e os jovens podiam curtir eletrônicos, videogames e mangás. Havia também palestras sobre diversos assuntos da cultura nipônica, atividades para jovens e 3a idade, palcos de apresentações com taikôs, bandas e karaokês, além também de aparições de cosplayers e eventos do Super Mario... ufa!!! Era muita coisa para se ver, que em meio período não dava conta de conferir tudo. Para quem queria curtir com mais detalhes, tinha que ir nos 3 dias do evento.


Mas o que me motivou a ir foram as barracas de comidas de cada província, onde cada uma vendiam seus pratos típicos de cada lugar, desde Hokkaido até Okinawa. Uma pena que não deu para provar muito, pois a muvuca era um caso a parte...

Aliás, acredito que a cada ano que passa, esses tipos de eventos (como o Anime Friends) atraem mais e mais gente de todo o Brasil. Transitar pelo evento exigia uma enorme paciência e para comprar comida mais ainda. Os estacionamentos ficavam sempre lotados, com filas. Muitos ônibus de excursões ao redor do local. Até tinha lotação gratuita da estação metrô de Jabaquara até a Imigrantes. Daí a razão da grande muvuca.

Valeu a pena? Sim, valeu, apesar da multidão. O espaço foi bem escolhido para abrigar um evento desse porte, mas tenho uma ressalva: se continuar inchando cada vez mais de gente cada ano, os organizadores precisariam encontrar um lugar ainda maior. Quem sabe talvez o autódromo de Interlagos mais o estádio do Morumbi juntos... (ironic face)

Abaixo, mais algumas fotos do Festival.











13 comentários:

  1. bacana as fotos, ajuda a preservar e divulgar a cultura japonesa no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Os matsuris no Brasil são grandes divulgadores da cultura japonesa. :)

      Excluir
  2. Dessa vez eu não consegui explorar muita coisa, mas valeu pra comer coisas gostosas, reencontrar o pessoal e pelo fácil acesso, apesar de isso tornar o evento muito lotado... Eh, lembra bem o AF, fila pra tudo... XD
    Mas foi bem legal e o tempo estava agradável! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pô, eu queria ir pro AF com vocês.

      Excluir
    2. Eu também queria ter aproveitado melhor, mas a muvuca era muita. O jeito era ter paciência mesmo.

      Ainda bem que o tempo ajudou bastante.

      Excluir
  3. Eu me arrependi de não ter pego algo pra comer, mas não pela comida em si e sim por não ter sentado com vocês e ficado conversando. De qualquer forma não ia dar pra falar muito mais com cada um dos grupos. Eu estava com a missão de fazer a cobertura fotográfica do evento então tive que ficar rodando lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só consegui comer no da província de Oita, Kagawa e Mie.

      Ah, valeu pelas fotos. Como vc deve ter notado, usei as suas para por no post. :)

      Excluir
  4. A variedade gastronômica estava divina...só a fila q não me agradou mto...mas...todo evento é assim...ainda pudemos conferir o pessoal do karatê...daí q a gente ficou um tempão na arquibancada...rsrsrs...até o Super Mario alegrou a criançada...quem sabe o ano q vem seja no Anhembi...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o Anhembi for maior e melhor em termos de infra-estrutura, talvez consigamos andar nos corredores com maior fluidez.

      Excluir
  5. A gente queria ter dado uma olhada melhor, mas com crianças estas coisas ficam bem mais difíceis - nem tanto pela gente, mas por eles, que estavam cansados e reclamaram muito (aliás, aquele dia foi atípico, porque eles estavam bem enjoados e não costumam ser assim).

    Uma coisa engraçada era o monte de expositores que não tinham nada a ver com a cultura japonesa: Avon, Natura, balas de coco... Acho que descaracteriza um pouco o festival, mas por outro lado, se não houver expositores suficiente, acaba inviabilizando financeiramente o evento, creio eu.

    Mas a gente precisa marcar um almoço ou coisa assim. Foi legal reencontra-lo, Ocho, mas pra conversar neste tipo de evento fica difícil, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estranhei isso (Avon, Natura...), mas como vc disse, qto mais expositores, melhor para o evento para viabilizar financeiramente.

      Foi muito legal ter reencontrado vcs. Quem sabe na próxima, encontremos em um lugar com mais tranquilidade para conversarmos melhor... :)

      Excluir
  6. Ah, esse festival deve ser muito bacana! Até o Darth Vader foi (com crachá e tudo hehehe). Mas confesso que lugares muito cheios me desanimam. Acabo muitas vezes deixando de comer só para não enfrentar fila. Olha, parece o ichigo daifuku do Kodi...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Tinha que ter muuuita paciência para conseguir algo...

      Excluir