30 de set de 2009

Na Internet, nada se cria, tudo se copia MESMO

É incrível, tamanhas semelhanças. Acho que, nesta atualidade, a ORIGINALIDADE sucumbiu-se. É só ver os clones dos IPODS, dos IPHONES, dos FACEBOOKS, etc...

É, realmente, a GERAÇÃO CTRL-C, CTRL-V [link].

Até na mídia de notícias temos exemplos clássicos de cópias. Globo.com vs R7.com vs Band.com.



Fora os filmes atuais que, em termos de roteiros e efeitos especiais, já estão mais que manjados...

Mas, vamos aguardar que, num futuro bem próximo (espero), possamos ver originalidade mesmo nos serviços, produtos, etc... Até o momento breve que irão plagiar tais ideias novamente.

26 de set de 2009

"Central Perk" em Londres

O café provisório foi criado no centro de Londres para comemorar o aniversário de 15 anos do início do seriado.

Alguns dos objetos que fizeram parte do seriado foram levados para permanecerem expostos nas paredes do café, como o "peru" do Joey.



Caso o vídeo acima estiver com falhas, clique [aqui]

Mas bem que poderiam criar uma franquia de verdade do café do seriado "Friends". Deu uma nostalgia da série quando vi o vídeo...

20 de set de 2009

Triplo 2009


Não acredito muito em numerologia, mas me chamou atenção esse momento. Pelo menos para nós, brasileiros, é curioso o momento: 20-09-2009 às 20:09.

E ainda dá para registrar os anos de 2010, 2011 e 2012. Até lá...

Agora vem a famosa pergunta: What were you doing at that moment?? :D

17 de set de 2009

Bingos, CSS, Taxação das Cadernetas... o que mais esperar?

É incrível o que o Governo Brasileiro têm tido ideias de ressucitar atos "incabíveis" da época passada.

Com pautas e assuntos mais relevantes para tratar (como projetos na Educação, Saúde e Segurança), os governistas insistem em trabalhar em pautas de arrecadações, onde alegam que precisam aumentar certas cargas tributárias para sustentar os "supostos" projetos do PAC e sociais, ressurgindo ideias ultrapassadas e inadmissíveis como a volta dos Bingos e Caça-Níqueis de forma legalizada.

E falando em Previdência, ela já está no vermelho faz tempo, por isso, o Governo quer recriar de volta a CPMF, apenas camuflando de nome para CSS (contribuição para a seguridade social) a fim de tentar socorrer uma Previdência de mãos atadas, que já não sabe mais como segurar as pontas no futuro. Bom, pra começar, os pagamentos das aposentadorias estão cada vez mal distribuídas (aposentado pobre fica mais pobre, aposentado rico curte cada vez mais) e falta um bom planejamento na distribuição justa de benefícios (nem preciso citar atos secretos que beneficiam salários de partidários, políticos e servidores né). Planejamento minuncioso é necessário, pois realmente, o país está ficando mais velho e temos que acompanhar essa tendência mundial. Mas o que vejo é o governo tentar solucionar "usando uma peneira para tapar o Sol".

Agora vem um projeto que está para ser sancionado, onde teremos a volta dos bingos e jogatinas legais? Por favor; em vez de pensarem em projetos dos pilares de sustentação (saúde, educação, segurança), governistas querem ressussitar a jogatina? Para que o povo brasileiro volte a sustentar um vício terrível? Para enriquecer os cofres de empresários inescrupulosos? Para sustentar o crime organizado? Claro, o governo afirma que a legalização dos Bingos vai criar novos postos de trabalho... Oras, que crie trabalhos dignos, investindo em postos de saúde, criando a formação de professores (com salário digno), combatendo a corrupção (principalmente!!).. e não para facilitar a lavagem de dinheiro de empresários e incentivando cidadãos a sustentarem um vício horrível.

Com tudo isso, só posso enxergar que o governo quer ter motivos para arrecadar ainda mais, justificando déficit dos cofres públicos, tirando ainda mais as economias do povo brasileiro. Poxa, o que a gente já tem pago de tributos não é brincadeira. O Brasil é o campeão em altas taxas de juros e impostos. Eu fico pensando... com tudo que contribuimos com impostos e taxas, por que não vemos o resultado prático das contribuições na sociedade? O nariz de palhaço do brasileiro está cada vez mais inchado, é o que penso...É muita cara de pau ainda quererem taxar em mais atos. Só falta taxarem o ar que respiramos...

15 de set de 2009

Game Nostalgia (VII): Final Fantasy 8

Se tem alguma franquia de games que não pode ficar de fora, uma é, sem dúvida alguma, a saga de "Final Fantasy". Sou fã da saga, desde a época que lançaram a versão para o "Playstation One", com o game "Final Fantasy 7". Mas na verdade, a história começou lá atrás, do tempo do "Nintendinho 8 bits". De lá para cá, muitas versões foram criadas, passando para o "Super Nintendo", para o "Playstation One", depois para o "Playstation 2" e, atualmente, para vários consoles como "PSP", "Nintendo DS", "X-Box", "Playstation 3"...

Bom, falando especificamente da versão 8, o game fora lançado para "Playstation One" e fora um grande sucesso, depois da versão 7 para o mesmo console. Lançado em 1999, "Final Fantasy 8" tinha personagens de fisionomia mais adulta, ao contrário das versões anteriores. Os gráficos eram de arrasar para aquela época, principalmente pelos vídeos CG e pelas animações dos "Guardian Forces", as evocações de seres superiores (são os "Summons" para a versão 7). A trilha sonora também era arrasadora (tanto que tinha comprado os cds de áudio originais no Japão). Uma das características marcantes é o momento das batalhas (assista ao vídeo no final do post). Os personagens utilizam todos os itens, magias e habilidades durante tais lutas e o jogador deve saber utilizá-las nos momentos certos (principalmente se for lutar contra os monstros mais fortes, como o "Omega Weapon"). Cada personagem utilizado na batalha possui um "Limit Break", isto é, seu ataque especial que pode tirar uma boa porção de "HP" dos inimigos, ou um movimento especial que pode alterar o status dos personagens. Também é marca registrada da saga.

Outra novidade da versão 8 era a ausência da barra de "MP" ("Magic Points") e, no lugar, criou-se o comando "Draw", em que o personagem rouba estoques de magia de oponentes até completar 100 unidades de cada uma delas. Com isso, o personagem podia uni-las com habilidades de ataque, defesa, "HP", força e assim vai.


Abertura de Final Fantasy 8


Confesso que o game é viciante, pois você quer melhorar o "level" dos personagens e saber o que vai acontecer em cada momento da história (é que nem acompanhar uma novela ou seriado), ou então quer as melhores armas e os melhores itens, por isso, vai batalhando nos mapas... Fiquei re-jogando esses dias "Final Fantasy 8" no emulador (já tinha jogado uma vez naquela época do "Playstation One"). É claro que já sabia da história, mas é como rever aquele filme que te marcou.

Enfim, é impossível não ficar "apegado" com os personagens e com a história de cada "Final Fantasy". Na verdade, tem muito mais assunto a comentar sobre a saga, mas vou deixar para as próximas oportunidades. Aliás, já a comentei uma vez [link] neste blog.

Abaixo, uma sátira do game da versão 7. Rachei-me de rir...

8 de set de 2009

Geração Ctrl C, Ctrl V

Internet: Essa é, provavelmente, a principal ferramenta que proporcionou uma mudança da sociedade, senão, uma revolução do modo de viver da humanidade atual. Talvez pudéssemos dividir a escala da humanidade em duas partes: Pré-Internet e Pós-Internet.

Claro, que não só a Internet, mas muitos outros fatores fazem com que haja mudança no mundo o tempo todo e, desde sempre, a mudança é cada vez mais rápida. Informações sobre tudo a apenas alguns cliques no computador, dispensando enciclopédias volumosas e relacionamento direto com quaisquer pessoas de qualquer parte do mundo já estão a alcance de qualquer pessoa.

Qualquer criança atual já nasce com o computador embutido. E o tempo de acesso a tais tecnologias pela garotada cresce a cada momento, pois elas as utilizam como parte essencial de suas redes de relacionamento, pesquisas escolares, diversão e assim vai. E a garotada, hoje em dia, já não é mais tão ingênua como era antigamente. E muitas vezes, os filhos ensinam os pais sobre muitos assuntos, pois esses estão mais antenados a diversos assuntos do que estes (claro, assuntos que interessam a garotada) graças a Internet.

Se por um lado a Internet revolucionou o processo da informação, por outro lado, as crianças e os jovens de hoje precisam lidar com a capacidade de absorção e administração das informações, que bombardeiam pela Internet. Se, antigamente, tínhamos que recorrer a livros e apostilas somente (e isso tomava um bom tempo nosso) para obter as informações que precisamos, hoje em dia, com alguns minutos, conseguimo-las e ainda muitas vezes de forma bem enxuta. O restante do tempo é utilizado para obter informações muitas vezes corriqueiras, fragilizando a capacidade das crianças de filtrarem informações úteis das inúteis.

Há também o lado da síndrome do Ctrl C, Ctrl V. Trabalhos escolares retirados diretamente da Internet, e muitas vezes, sem a devida correção ortográfica, concisa e coerente levam os estudantes a banalizarem os trabalhos sem ao menos compreender o que colocam em seus trabalhos escolares. Ah, mas a tecnologia também proporcionou o lado bom para os professores. Já existem softwares que conseguem identificar com até uma certa precisão, trabalhos que foram simplesmente copiados, de outros que realmente são de autoria de alunos. Mas o lado prático do Ctrl C, Ctrl V está no manuseio do computador. Por exemplo: é mais fácil usar esse artifício que ficar clicando nos botões de copiar e colar dos browsers e explorers. Eu, por exemplo, sou usuário assíduo do Ctrl C, Ctrl X, Ctrl P, Ctrl T, etc...

Talvez haja pessoas que irão achar que crianças na Internet 24 horas por dia, um absurdo, mas com a alta tecnologia cada vez mais desenvolvida em aparelhos cada vez mais diminutos (é a Nano-Tecnologia a fundo), talvez o futuro das crianças, e dos adultos é estar mesmo on-line 24 horas por dia, e celular como I-Phone, talvez seja coisa do passado... E o futuro vem das crianças, com suas múltiplas formas de como elas estão construindo, ou irão construir suas relações. É a “geração corta e cola”.

Com referência da revista Super Interessante.

6 de set de 2009

Temos motivos para comemorar o 7 de Setembro?

Com todos escândalos na política brasileira (o que já não é novidade); atos secretos; desvios de verba na educação, saúde (fora que poderemos ter a ressurreição do CPMF, proposto pelo governo) e segurança; violência; irresponsabilidade no trânsito; tráfico de drogas em plena luz do dia... será que temos motivo para comemorar o dia da “independência” do Brasil, isto é, assistir a parada dos nossos governantes junto aos políticos corruptos? (Temos sim que prestigiar os militares, a polícia digna que combatem a violência.)

Quando vejo nos telejornais, as primeiras notícias sempre são mostradas barbaridades praticadas no Brasil inteiro. Assaltos em apartamentos, condomínios e estabelecimentos comerciais; cracolândia (e não apenas em São Paulo); homicídios; falta de respeito no trânsito; descaso com patrimônio público... parece que tudo isso já faz parte da vida de todos nós e muitos dizem que isso já é “normal” nesse país... isso é motivo para comemoração? Que independência é essa que estamos vivendo? Pelo contrário, cada vez mais estamos a mercê da violência, drogas, corrupção, medo, falta de respeito, indignação.

Acompanho o JN, pois é necessário atualizarmos, mas fica cada vez mais difícil acompanhar tais telejornais. Aliás, pela internet também.

Cadê o resultado dos investimentos na saúde? Só se for para ser intitulado como o país com mais mortes da gripe suína no mundo... Hospitais no esquecimento, médicos e enfermeiros em condições super precárias de trabalho, pessoas lotando postos de saúde e sendo atendidas nos corredores... essa novela eu já vi várias vezes e parece que está longe de terminar com final feliz. E o tal CSS, que o governo quer criar no lugar da CPMF? Para arrecadar os cofres públicos do governo, porque estão com déficit? Então por que aumentam os salários dos servidores públicos e políticos? (que aliás, já ganham uma remuneração astronômica). Ah, mas para arrecadar, o governo é eficiente. Por exemplo: Projetos para explorar o Pré-Sal.

E nem comentei sobre a Justiça Brasileira... aliás, para que comentar, né? Sempre comemoramos com várias pizzas... A Itália é o país das pizzas, mas o Brasil é o campeão das indigestas...

Com tudo isso vamos sim comemorar a nossa “independência”...