28 de dez de 2012

Animê: Bakemonogatari

Aproveitando meu tempinho de férias sem viajar, resolvi "matar" alguns animês enquanto estou em casa. Isso porque há uma lista grande de animês recomendados a serem assistidos e estou tentando diminuir o tamanho dessa lista, tehehe.


O próximo que estou acompanhando chama-se "Bakemonogatari" (algo como "história de monstros"). O enredo é meio confuso, mas já se tratando do título, envolve mais ou menos uma trama de "entidades sobrenaturais", como "vampiros bonzinhos" (algo similar com Crepúsculo?), "espíritos vagantes" ("eu vejo pessoas mortas...") e afins.

Mas o animê é sutil em mostrar sobre isso a toda hora. Conta a estória de Koyomi Araragi, um jovem estudante do ensino médio, meio vampiro, pois não se alimenta de sangue, pode viver em dias ensolarados e tem uma recuperação imediata quando se fere, a la Wolverine. Mas Araragi é uma pessoa boazinha com as outras pessoas e tenta ajudá-las de alguma forma. No colégio, Araragi conhece Hitagi Senjōgahara, uma garota que possui um temperamento frio, em que ela é ajudada por ele através de um cara chamado Meme Oshino, um suposto gangster moderno, cujo seu conhecimento sobre o sobrenatural é enorme.

Assim como em outros animês, o começo da história é um pouco confusa e com muitas cenas de "placas e letreiros" que, até agora, eu não entendi o porquê dessa poluição visual, além delas passarem rápidos demais para não conseguir lê-los. Naturalmente, não vou ficar pausando o vídeo toda hora que passar esses "letreiros", né? Outra crítica pessoal se dá por conta de muitos "blá blá blás" que, mesmo com legendas, eu não consegui prestar muita atenção em detalhes, pois cansa muito ver animês com muitos "blá blá blás". Porém, é com esses "blá blá blás" que temos que entender a essência do animê, portanto, já fica descartado espectadores infanto-juvenis. Eu considero um animê adulto, pois há também cenas de violência, sangue e um pouquinho de erotismo. Mas, claro, alguns melhores animês têm seus charmes graças a essa liberdade de expressão.

Com o sucesso de Bakemonogatari, foi criado várias sequências como o "Nisemonogatari" (histórias de falsidade) e "Nekomonogatari" (histórias de gatos). Eu, por enquanto, estou apenas no Bakemonogatari ainda.

Se o animê ficar melhor ao desenrolar da história, talvez eu continue assistindo com o "Nisemonogatari". Mas já digo que o animê não é ruim não, depende muito do ponto de vista do espectador. Tanto que foi um grande sucesso no mangá e no animê e, com isso, criaram continuações.

2 comentários:

  1. É. Tem que ter uma mente aberta para encarar Bakemonogatari. Apesar de ser um animê incrível ele foge quilômetros do padrão e novatos não vão conseguir digerí-lo. Obviamente que não quero descartar o fator gosto na questão de gostar ou não.

    Nisemonogatari não tem os "cortes" irritantes. E tem a Shinobu...
    Tá rendendo a lista de animês, hein. =]~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É meio confuso sim, e como vc disse, tem que ter uma mente aberta mesmo para acompanhar, pois foge a regra padrão de história.

      E esse Araragi é um "lucky bastard", hahaha.

      Excluir