21 de jun de 2013

Animê: Lucky Star


Voltando com mais uma breve opinião de um animê um pouco mais antigo, Lucky Star.
Lucky Star é sobre uma história "shoujo" de meninas colegiais (novidade...) em diversas situações engraçadas e divertidas, mas que não há um enredo fixo. Mas, basicamente, o animê foca entre 4 colegiais principais: Konata (a de cabelo azul), Kagami (cabelo roxo de chuquinhas), Tsukasa (irmã gêmea de Kagami) e Miyuki (cabelo rosa). Cada uma com personalidades distintas. Konata é a "geek-otaku-gamer", Kagami é a explosiva, Tsukasa, a "ingênua-kawaii" e Miyuki é a "nerd-moê".

Apesar do traço mais simplório, esse é o estilo proposital para o animê, dando uma conotação "caricaturizada" (ou seria "caricaturada"?) dos personagens num contexto mais kawaii e, ao mesmo tempo, engraçado. Novamente, um dos pontos fortes do animê são os personagens, com meninas simpáticas e kawaiis.

Para quem é um pouco "geek-otaku-gamer" como a Konata, Lucky Star menciona bastante referências sobre os temas, por causa justamente da protagonista. Alguns animês clássicos mencionados em Lucky Star: The Melancholy of Haruhi Suzumiya (esse, aos montes), Fate-Stay Night, Initial D, Galaxy Angel e outros. Fora também uma bela menção "escondida" de uma das lojas de otakus mais famosas do Japão, a "Animate" (tenho saudades dessa loja, rsrs). Mas há outras menções que eu até não captei por desconhecimento. Em games, há menção de "Street Fighter" e "Ridge Racer", por exemplo. E sempre a Konata jogando num Playstation ou num arcade center (fliperama). Em, suma, Lucky Star é um prato cheio para os geeks.

Outra ideia interessante foi nos primeiros "endings", onde as meninas estão em uma sala de karaokê cantando diversas músicas J-Pop e Anisong. Consegui reconhecer várias músicas do gênero, rs.




Entretanto, algumas situações pecam um pouco no animê. Os primeiros episódios são bem chatos, com muitas falas, onde muitas vezes, o expectador se perde no rumo da trama, e situações que não há uma continuidade, podendo até ser ignorado pelo mesmo. Entretanto, a partir de mais ou menos no sexto episódio, a trama fica mais interessante. Outra, é o enredo aleatório, não seguindo um roteiro fixo, o que pode não agradar muitos espectadores, mas para quem quer apenas curtição e "relax time", isso não será empecilho.

Mas, o que eu menos gostei é o "filler" do tal "Lucky Channel", com uma dupla de apresentadores num tipo de "programa de notícias de entretenimento". A menina que apresenta é uma verdadeira chata dupla-face (yanderê). Só o cara que se salva.

Enfim, Lucky Star foi um sucesso grande que foi estampado em várias mídias de otakus mundo afora, pois além dos personagens simpáticos, o animê diverte.

Nota:  


5 comentários:

  1. Parece bem legal, ideal pra desestressar...qdo der um tempinho entre trampo e estudos vou dar uma olhada...por ora comecei a assistir Bleach (assisti os 2 primeiros epis) e estou gostando...vamos ver mais pra frente...rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É estilo para desestressar, mas os primeiros episódios são meio perdidinhos, hehehe. Eu recomendaria assistir Yuru Yuri, achei este mais divertido.

      Excluir
  2. Vixe, LS ganhou só 3 estrelas, tehhehe. Quando eu cheguei no episódio 24 estava querendo mais eps. A gente vai se apegando cada vez mais aos personagens a medida que vai acompanhando. E falando nisso andaram pedindo uma segunda temporada esses tempos. Disseram que o mangá comportaria isso pois continua bem mais além do animê.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Três estrelas significa "regular", mas tem bons apontamentos como mencionei no blog. Ainda não vi até o final, quem sabe eu possa reconsiderar com uma estrela a mais depois, hahaha.

      Excluir
    2. Agora começou a aparecer a Gamers, tehhe.

      Excluir