16 de jun de 2014

Exemplo que vem do outro lado do mundo


Uma coisa que admiro dos japoneses é a sua educação milenar. Desde cedo, os japoneses cultivam o hábito do respeito e da educação e assim educam gerações e gerações.



E nesta Copa no Brasil, a torcida japonesa deu mais um exemplo para o mundo. Após o jogo da sua seleção, em Recife, os torcedores japoneses estavam recolhendo seus lixos das arquibancadas e colocando-nos em sacos plásticos, não importando o resultado do jogo (nesta, a seleção nipônica perdeu). Essa cena pode ser exemplar para a maioria das pessoas, mas para os japoneses, isso é uma atitude absolutamente rotineira e eles mesmo se espantam do porquê dos espantos dos gringos e brasileiros. E dou razão para os japoneses. O ideal mesmo é a gente recolher tudo que produzimos de lixo e descartar de forma correta, mas na prática, infelizmente, estamos há séculos atrás deles em educação e respeito.

É só ir para o Japão e ver que as ruas daquele país estão sempre impecáveis, com quase lixo algum jogado no chão, e isso que quase não há lixeiras nas ruas, a não ser nas lojas de conveniência (kombinis). Além dos japoneses não jogarem lixo na rua, eles carregam seus lixos até uma lixeira dos "kombinis" ou levam para casa e descartam nas lixeiras caseiras. É claro, sempre há um ou outro que desrespeita a atitude, mas a fiscalização de lá é dura. O cidadão que for flagrado jogando lixo no chão (seja até toco de cigarro), é advertido e multado. É isso que falta aqui no Brasil: educação e fiscalização!!

Outro fato que ocorreu e é corriqueiro para os jogadores japoneses é agradecer a torcida presente curvando-se diante deles, ganhando ou perdendo. Qualquer competição lá, ao final de uma partida, os jogadores se cumprimentam e também aos expectadores. Aqui, os jogadores aplaudem a torcida só quando ganham e quando perdem, saem cabisbaixos e correm rapidinho pro vestiário. As torcidas locais também não fica atrás, é só ver as barbáries delas nas mídias se brigando ou depredando tudo...


É, infelizmente estamos atrasados em tudo mesmo, mas acredito numa melhora no Brasil daqui a alguns séculos; afinal, a humanidade está na Terra para evolui e não involuir, certo? :p


Os próprios alunos quem limpam as salas de aulas e os banheiros das escolas

6 comentários:

  1. A primeira vez que fui pro Japão me impressionei com a limpeza. Outra coisa que não vi foi fezes de cães na rua. Aqui na minha rua eu tenho que desviar pra não pisar e se estiver escuro piorou porque não dá pra ver mesmo. É realmente incrível você viajar pra um país aonde as coisas funcionam, as leis são cumpridas e respeitadas. Estamos tão loooooooooonge disso acontecer por aqui. É engraçado porque para nós como somos descendentes, também seguimos isso (pelo menos a grande maioria). Daí a grande diferença entre "nós" e os brasileiros. Não estou generalizando, de jeito nenhum. Sei que tem muito brasileiro educado e ciente de manter a sua cidade limpa. Mas no Japão isso se torna quase que 100%. Quando ficamos muito tempo fora, acostumamos com a limpeza de lá. Fiquei um mês no Japão e quando cheguei, fazendo o percurso do aeroporto de guarulhos pra casa, é que a gente nota a diferença. Já é tão difícil de manter o patrimônio público. Cansei de ver orelhões quebrados (o que a pessoa tem na cabeça de depredar uma coisa tão útil e necessária em caso de urgência?!), muros pichados (deixar a cidade feia pra quê???), notas rabiscadas e rasgadas (no nihon não vi uma nota rabiscada ou em mau estado...que diferençaaa...), qualidade no atendimento (a cordialidade de lá é absurda...em todo lugar que a gente entra eles dão as boas vindas :) ) etc...etc...etc...ainnn...que vontade que dá voltar pra lá...mas um diaaaaaaaaaaaaaa a gente chega láaaa (espero)...me empolguei no comentário...rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou grande o comentário, mas muito bom.

      Eu também fiquei muito impressionado com o Japão na minha primeira viagem por lá. Claro, como todo lugar, Japão também tem seus problemas sociais, mas não é a nível gigantesco como aqui no Brasil, assim como aqui também há várias exceções, com educação e respeito de brasileiros.

      Os exemplos mostrados servem para tentar conscientizar os brasileiros a pensarem a fazer algo parecido com eles, assim, melhorando nossa casa, o Brasil para uma vida mais harmoniosa e respeitosa.

      Excluir
  2. Eu, como boa curitibana, guardo meu lixinho pra jogar na lixeira da rua ou no lixo de casa mesmo e deixo a mesa limpa depois de usar na praça de alimentação dos shoppings. Mas a maioria não é assim - se fosse, Curitiba seria exemplo de limpeza também. É engraçado porque vejo que tenho tanto esta semelhança com o povo japonês que acabo me sentindo meio japonesa também - e sempre fui assim, mas confesso que a convivência com um Nihonjin só fez estas coisas se intensificarem em mim. :)

    Eu admiro esta boa educação, o respeito e a civilidade do povo japonês. Admiro mesmo, profundamente. E, infelizmente, acho que é meio utópico esperar que o povo brasileiro chegue um dia a este nível. Este comportamento faz parte da cultura de um povo, de tudo aquilo que foi passado de geração em geração durante séculos e séculos. Temos uma ascendência fortemente latina e africana e ao olharmos para os outros países da mesma origem que a nossa, percebemos que estes problemas de educação, organização e respeito também são fortes por lá. Por isso que não tenho muita esperança em relação ao povo brasileiro. Pode até ser que um dia cheguemos lá, mas acho que pra isso acontecer, pode levar mesmo estes séculos e séculos que vc comentou.

    Ah, ia me esquecendo: acho super saudável e educativo este hábito dos próprios alunos fazerem a limpeza na escola. Mas, aqui no Brasil, se alguma escola resolvesse adotar esta regra, certamente seria acusada de explorar trabalho infantil. Seriam processados, haveria maior escândalo na TV, nos jornais, militantes fazendo manifestações... Nossa sociedade é protecionista demais. Acabam criando pessoas que simplesmente não respeitam os mais velhos, não valorizam as coisas, não sabem cuidar e preservar os bens que são de todos.

    Hehehe... eu e a Silvia andamos bem empolgadas nos comentários... rsrsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa. São longos, mas de muita avalia e bom senso crítico.

      Acredito que a humanidade em geral esteja evoluindo em sua formação, mesmo em passos beeeeem curtos, porém uns têm hábitos mais respeitosos em relação a outros. No caso do brasileiro, esse respeito ainda está longe de ser alcançado em relação a países de primeiro mundo e até mesmo de nossos vizinhos, como os chilenos (tirando o caso dos chilenos que invadiram a sala de imprensa do Maracanã), mas em geral, até eles têm mais respeito e civilidade que os brasileiros.

      Sim, nossa sociedade acaba sendo protecionista demais e concordo com seu ponto de vista. As crianças japonesas são educadas para limparem o que elas mesmas usam, simples assim.

      Excluir
  3. Vamos ver se um dia eu consigo visitar o Japão para conferir o que vocês falam de lá. Muitas atitudes ruins por aqui. A gente precisa se policiar para manter a linha. Eu gostaria de ter mais exemplos de bons modos para me inspirar. Deviam fazer uma cartilha. Você conhece alguma? =)~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe cartilhas para os estrangeiros recém chegados que vão morar no Japão. Eu recebi várias quando fui em cada província, inclusive em português (mal traduzido) da província de Aichi. Tem algumas informações no siote oficial deles: http://www.clair.or.jp/tagengorev/pt/index.html

      Excluir