11 de abr de 2015

Animê: Mahou Shoujo Lyrical Nanohá (Temporadas 1 e 2)


Se muitos brasileiros e ocidentais em geral só conheciam Card Captor Sakurá ou Sailormoon como referência à saga de guerreiras mágicas, deveriam conhecer a saga "Mahou Shoujo Lyrical Nanoha", que, na minha opinião, poderia ser a melhor saga "mahou shoujo" que já conheci.

Conta a estória de Nanoha Takamachi, uma garotinha super meiga e carinhosa, cursando o ensino fundamental numa escola japonesa. Nanoha possui uma típica "família modelo-feliz", com seus pais com aparência jovem e com um irmão e uma irmã meigos e simpáticos.


Em uma dimensão paralela, mas no mesmo espaço físico da Terra, Nanoha foi escolhida para ajudar um ser chamado Yuuno (com uma aparência inocente de um furão) para ser uma guerreira mágica com poderes extraordinários (quase a la Goku) e  recuperar as pedras mágicas do poder espacial, a fim de restaurar a ordem cósmica do Universo (é, a estória não é muito original, tehehe). A partir daí, a saga de Nanoha muda com suas missões cotidianas e missões de guerreira mágica, com a ajuda de um grande aliado(a) chamado(a) "Raging Heart", um acessório que se transforma em um bastão mágico poderoso, fazendo de Nanoha, uma "sayajin", hahaha.

Mahou Shoujo Lyrical Nanoha possui momentos de muita ação nas lutas, dignas de Dragon Ball Z, mas com momentos de emoção e carisma, além de , claro, momentos de irritação com certos inimigos, mas nada que outros animês e séries possam também ter. As outras guerreiras mágicas também são bem "cools", mas com sentimentos um pouco diferentes de Nanoha. Elas vão aparecendo conforme o desenrolar dos capítulos, como a Fate. OBS: a quantidade de meninas "kawaiis" e "gostosas" no animê ajudou muito no meu ranking, tehehe.


Nanoha foi sucesso mundial na época e, aparentemente, aqui no Brasil e nos EUA não houve muita divulgação na época devido a censuras ridículas que impuseram para Nanoha (nas transformações das meninas, elas ficam nuas, por exemplo) e aí barraram o animê pelo ocidente, ao contrário de Card Captor Sakurá e Corrector Yui, que foram animês mais "lights". Se eu tivesse conhecido Nanoha naquela época, com certeza diria que foi melhor que Sakurá, Rayearth e outros do estilo. Agora já sei que o animê Fate Kaleid Liner PRISMA ILYA, se baseou bastante em Nanoha, pois as semelhanças são muitas, porém, este último tem conteúdo mais humorístico e digamos... ( ͡° ͜ʖ ͡°), mas também tem traços de Sakurá também.

Pelo menos, as temporadas 1 e 2 de Mahou Shoujo Lyrical Nanoha valem a pena assistir, tanto que depois de um tempo, lançaram seus respectivos movies, com resumo das duas temporadas cada, com mais detalhes nas animações e qualidade muito mais superior.





4 comentários:

  1. Aeee! Five Stars!
    Você vê como censura besta e puritanismo das pessoas traz limitações ao crescimento uma vez que impede o conhecimento. Pior que conheço gente assim...
    Eu ri com "meninas "kawaiis" e "gostosas" no animê ajudou muito no meu ranking". XD~

    Agora você sabe por que eu eu venerava tanto esse animê. Devo ter torrado sua paciência de tanto comentar, haha. Mas que bom que coincidiu com o seu gosto também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deshô? Você venerava não por acaso. Curti bastante Nanoha também, Agora sabia o porquê vc me "enchia o saco" para ver, hahaha.

      Ação, personagens carismáticos, muita menina e mulher boas tem mesmo que curtir. Valeu pela indicação. tehehe.

      Excluir
  2. Até os gráficos lembram bastante Sakura e Rayearth, acho que é uma tendência, eles pegarem animes de sucesso e aprimorar a história, e colocando algo que tenha faltado nos outros.
    Quanto às censuras, o processo de designorância das pessoas é um caminho longo, que envolve toda uma troca de geração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não me engano, Nanoha surgiu na mesma época de Sakurá, ou seja, até foi meio original se for ver. Achei Sakurá legal sim, mas Nanoha gostei mais.

      Censura sempre vai ter, infelizmente, e agora tá nessa onda de puritanismo e sentimento homofóbico em qualquer circunstância, e acho isso puro exagero por parte da sociedade atual.

      Excluir