25 de mar de 2016

Animê: Barakamon


Quando um rapaz, mestre na arte do "shodô" (caligrafia japonesa), precisa espairecer e adquirir inspiração, onde ele poderia encontrar um lugar para treinar suas habilidades? Seishuu Handa é o protagonista que resolve sair de Tóquio depois de uma briga com um diretor de arte sobre críticas das suas obras caligráficas. Acaba indo a um lugar que chamam de "ilha" na província de Fukui, um lugar bem pacato e tranquilo, longe do movimento de cidade grande.

Chegando lá, encontra pessoas de um vilarejo com suas vidas pacatas e simples, numa paisagem natural maravilhosa, com verde, riachos, plantações e mar (cenário típico de Non Non Biyori). No vilarejo, há uma menininha muito agitada chamada Naru, que volte e meia, "importuna" o "sensei", que é o Seishuu. Apesar de "pentelha", ela é adorável. Será que Seishuu conseguiria trabalhar na sua inspiração para a arte do shodô com ela e seus amigos, apesar do lugar calmo e agradável?


Barakamon é um animê de estilo cotidiano, com um enredo engraçado e carismático, pois a medida que o sensei convive com o pessoal da "ilha", os laços de afinidade vão crescendo, mesmo que ele não consiga se concentrar em seus trabalhos por causa disso, haha. O traçado do animê é de forma mais realista sem muita caricatura, exceto quando fazem aquelas caretas básicas de mangás. O ponto forte de Barakamon é ter um enredo sem estresse com personagens carismáticos, neste último quesito, coisa que os japoneses são feras para criar em mangás/animês.



Foram 12 episódios, mas sem perspectiva de continuação. É recomendado para quem curte o gênero.








2 comentários:

  1. Tem bastante pic da fujoshi. Parece que vc curtiu ela, haha.
    Esse animê traz algumas mensagens bonitas de vida que eu considero um plus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu curti a parte engraçada dela yanderê contra os "yaois", hahaha.
      Me lembrou um pouco o Usagi Drops, mas com tom mais humorístico.

      Excluir