3 de nov de 2016

Animê: Flying Witch


Esse seria mais um animê daqueles de estórias cotidianas típicas: Uma menina chamada Makoto, acompanhada de seu gato de estimação "Chito" volta ao vilarejo de sua família e a primeira pessoa que encontra é seu primo Kei, praticamente de mesma idade. Makoto reencontra também a irmãzinha de Kei, Chinatsu e os pais dos dois... A estória seria mais um daqueles animês típicos realísticos cotidianos sem agitação se não fosse por um detalhe: Makoto é aprendiz de feiticeira (ou bruxa, como preferir). Usa uma vassoura piaçava para voar, aprende alquimia exótica e feitiçaria, de vez em quando com auxílio de sua irmã mais velha, Akanê.

Apesar do título ser sugestivo, Flying Witch não envolve temática sobre feitiçarias propriamente dita. Mostra um lado cotidiano das pessoas que convivem com feiticeiros e "entidades espirituais" de forma que as pessoas em si não notam que estas são pessoas "especiais". Makoto e outras feiticeiras não são nem de longe más, pelo contrário, mostram simpatia e gracinhas em suas personalidades. O ambiente é tão calmo que mesmo nos momentos de feitiçaria fica um ambiente descontraído.


Com traços de personagens adultos (sem traços de "kawaiis"), Flying Witch é série para quem quer se descontrair como o expectador de Non Non Biyori. Uma opinião: os personagens secundários poderiam ser mais explorados dentro da saga. Flying Witch tem personagens carismáticos e muitos que aparecem não têm muita aparição ou só aparecem depois da metade da temporada, como as personagens do café temático. Claro, que se a estória continuasse com essas tranquilidade, ficaria difícil prolongar ainda mais com mais episódios, mas com tema como esse teria tudo para criar novos cenários e enredos mais interessantes.


Enfim, com 12 episódios, Flying Witch tem tudo para agradar expectadores que querem algo "relax", mas com um toque diferente de ficção com temas de feiticeiras; entretanto poderia ter um enredo um pouquinho mais empolgante.









6 comentários:

  1. YOU! Chito-san é uma gata.
    Como você disse, é como nonnon, ou seja, não tem uma historia mesmo.
    O que você sugeriria para acontecer de interessante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, como curto estórias a la Non Non, curti bem.

      Acho que como tinha dito no post, uma maior exploração dos personagens secundários como as do café, o mensageiro e outros seria mais omoshiroi ainda. Um tema de bruxas e feitiços poderia ser um pouquinho mais agitadinho, mas talvez esse não seria o propósito do enredo.

      Excluir
    2. A estória continua no mangá. O que vc necessita então é da segunda temporada. Nessa só deu tempo de apresentar o povo.

      Excluir
    3. Good. Espero um dia poder ver uma possível segunda temporada.

      Excluir
  2. Se o animê todo fosse como o primeiro ep, com surpresas, seria ótimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o primeiro episódio, que assisti com você me surpreendeu mesmo. Porém o restante foi meio esperado, sem muitas surpresas.

      Excluir