23 de dez de 2009

O Futuro da Humanidade Após COP 15...

Tinha-se muita expectativa com relação à reunião das Nações do COP 15 - Conferência da ONU Sobre Mudanças Climáticas que fora realizada em Copenhague, Dinamarca. Muitas propostas de vários países poderiam aparecer para um melhor estabelecimento do equilíbrio ambiental mundial... mas como todos sabem... deu no que deu.

O Acordo de Copenhague virou uma carta de intenções sem apoio unânime e sem meta estabelecida. O maior encontro diplomático dos últimos tempos tinha o objetivo de envolver o mundo em ações concretas para evitar maior acúmulo do aquecimento global. Mas o que se viu foram ideias divergentes e omissas, onde certos países não concordaram em muitas cláusulas, cujas exigências estariam sendo extrapoladas com o seus ideais político-econômico-social.

Com isso, a Dinamarca, que sonhava em entrar para a história como a anfitriã de um acordo abrangente que substituísse o Protocolo de Kyoto, viu seu ideal cair por água abaixo. Mas, para azar do mundo, o que talvez vai constar nos anais da história será a desconcertante incapacidade de aglutinação da liderança dinamarquesa e a truculenta repressão de manifestações de ONGs ambientalistas.

O que saiu desse acordo foi uma declaração de intenções. Não tem efeito vinculante, mas mesmo que tivesse, não vincularia ninguém a nada muito decisivo. Os países admitem que de fato é bom evitar uma alta da temperatura em 2°C neste século. Mas como evitar?

No papel não há metas, mas há menção a dinheiro. Não significa que ele vai de fato pingar, porque o texto, que não tem força legal, não explica quais mecanismos institucionais seriam responsáveis pela gestão dos recursos.

Agora, a expectativa é, será que ano que vem, haverá uma "continuação" concreta para tal acordo? Ou estaremos a mercê de uma grande provável catástrofe ambiental mundial às custas da ambição da humanidade?

Com referências ao site do G1 e do UOL


Anúncios publicados pelo Greenpeace


2 comentários:

  1. Minha sugestão é a de sempre: buscar a solução no bolso. Os mecanismos precisariam prever vantagens econômicas dos colaboradores para a coisa andar.
    A COP serviu como painel de divulgação do "não estamos nem aí se der preju", acho. =P~

    ResponderExcluir
  2. O vídeo é fantástico! Uma pena que os governos discursam em nome de um desenvolvimento que, em verdade, favorece sempre as mesmas potências econômicas e os mesmo grupos. Não se consegue êxito ou avanço nas negociações em busca de soluções! Os cartéis coorporativos e hoje globalizantes continuam saqueando os recursos naturais e denegrindo até as condições de vida para seres humanos de todo planeta. Estão mesmo chorando lágrimas de crocodilo para as questões ambientais!

    ResponderExcluir