30 de jun de 2009

País Emergente com Qualidade de Ensino de 3º. Mundo


Segundo dados fornecidos pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o Brasil é o país que mais desperdiça aulas com broncas e discussões nas salas de aula, ou seja, no período em que os professores deveriam estar dando aulas, eles cumprem tarefas como preencher lista de chamadas ou tentam manter a disciplina nas salas de aula, em consequência de maus comportamentos de alunos. A pesquisa foi feita nas condições de trabalho dos professores entre 5ª e 8ª séries de 23 países. Os brasileiros ainda lidam com turmas maiores e têm menos experiência do que a média de outros países, afirma o relatório.

Bom, esses dados não me surpreendeu, é obvio, visto em que cada vez mais nosso país não dá menor atenção na qualidade da educação infantil e fundamental. E nem precisa falar sobre as condições dos ensinos médio e superior...

A começar pelo trajeto até a escola: muitos alunos têm dificuldade de transporte, pois moram longe demais da escola mais próxima de suas residências. Falta transporte de qualidade, as estradas e ruas estão em péssimas condições...
As condições de trabalho dos professores e funcionários das escolas. Não é de se surpreender a falta de investimento e incentivo na qualidade de trabalho desses profissionais. O resultado aparece nas notas dos alunos...
Pais negligentes na educação de seus filhos, tendo em mente achando que a escola é que tem a obrigação de educar seus filhos, enquanto trabalham. A escola é a segunda casa das crianças para desenvolver o social e o conhecimento de cada uma, mas educação mesmo aprende-se em casa com os pais.

Bom, discussões à parte, este post foi para mostrar minha indignação a um país em que teima em não dar um progresso consistente na educação de seu povo. Nos futuros próximos posts, poderei discutir melhor sobre tal situação.

10 comentários:

  1. O sistema educacional brasileiro é recheado de contradições. Uma pena! Pois encontramos na sala de aula alunos bastante criativos. Se houvesse investimentos em educação e pesquisa seriam ótimos cientistas ou mesmo profissionais liberais! Parabéns pela postagem! Milton Saito

    ResponderExcluir
  2. Acho que outro problema aqui é a cultura do ciclo vicioso reativo. No caso dos professores "Não me pagam direito, não vou me esforçar" ou "Os alunos não prestam atenção, não vou dar a mínima". E os alunos por sua vez "Não entendo esse professor, não vou estudar". E os pais, "Eu estou pagando, eles que cumpram sua obrigação". Enquanto houver essa postura reativa coletiva, fica difícil sair do lugar. Estamos precisando de pessoas que queiram quebrar paradigmas em prol de um objetivo cumum. Tem muito a ver com "Os dez mandamentos paradoxais" que eu postei. Poucas pessoas que sigam esse conceito já fazem mais "estrago" do que ninguém alinhado com isso e só na postura reativa. Lembra de GTO né? O cara tranformou uma escola inteira. Uma pessoa que seja, é melhor que ninguém.

    ResponderExcluir
  3. Interessante. Seria legal saber com quais países o Brasil participou nessa pesquisa.
    A Chise tem uma bagagem tão maior que a minha nesse assunto que prefiro não me manifestar.

    ResponderExcluir
  4. Não pude ver com mais detalhes com quais outros países o Brasil participou, mas essa pauta da educação brasileira sempre é discutida e não deveríamos ficar de braços cruzados. Alguma coisa precisa ser feita para que o Brasil realmente melhore a qualidade de ensino, não só nas escolas, e sim, na sociedade.

    ResponderExcluir
  5. Sim, sim! A grande questão é a educação.

    A pena de morte vem sendo abolida dos países mais "educados" porque constatou-se que não é esse tipo de punição severíssima que evita o crime, e sim, a formação do indivíduo.

    É claro que determinados tipos de crime continuarão existindo apesar da educação, mas, mesmo estes, não são coibidos pela punição em si (o caso dos serial killers e dos grandes golpistas).

    ResponderExcluir
  6. Sem educação, sem vida...

    ResponderExcluir
  7. Olá professor Elton, hoje postamos mais um texto sobre o tema educação no blog. Desta feita o assunto foi as escolas cooperativas e seus benefícios. E vamos cada dia mais ampliando o universo de discussão desta temática. Abraços! Milton Saito e Cristiane Nagafuti

    ResponderExcluir
  8. Se tivessemos mais nerds, o mundo teria mais progresso. Concordo com vc sim.

    ResponderExcluir
  9. é isto mesmo que acontece meu amigo!
    infelizmente!
    a família, os professores, a escola, talvez estejam precisando redescobrir seus papéis e funções frente aos indivíduos!
    com toda esta mudança, a correria, o querer sempre mais, todo mundo acabou se perdendo...
    é preciso parar, respirar, olhar, ver e enxergar o que existe real necessidade de ser feito!
    se uma pessoa decide constituir uma família, precisa ter consciência de que terá que dividir seu tempo em 3 4 ou cinco partes, se decidiu ter filhos mais ainda...e saber principalmente, que terá que renunciar a algumas coisas para ganhar outras que não têm preço e nem vão lhe dar promoção no mundo dos negócios!
    mas tem que ter esta consciência, caso contrário não conseguiremos alterar o que ai está!
    mas eu, particularmente, credito no ser humano como sendo a chave para a mudança!
    vamos se agilizar!
    abraços,
    Leilah

    ResponderExcluir