14 de jan de 2010

A Insignificância do Homem Perante a Natureza

O homem ainda insiste em desafiar a natureza, explorando-a praticamente sem limites. Matérias primas adquiridas para satisfazer o consumo frenético do homem, a cada ano que passa, mais e mais automóveis entopem cada cantinho disputado; indústrias e mais indústrias queimando nossas fontes de suprimentos como água e ar puro, lixos e mais lixos se acumulando em toda parte... E o planeta agonizando com a ignorância de todos nós.

Mal começamos 2010 e já presenciamos tragédias que só aumentam as estatísticas. As chuvas torrenciais que não acabam mais, trazendo desespero, dor e sofrimento. A tragédia de Angra dos Reis, no começo deste ano, já era premeditada: Ocupações irregulares em encostas, lixos se acumulando em terrenos e rios eram o cenário ideal para a tragédia. Adicionando o aquecimento global, causando várias alterações climáticas em todo território global, só poderia acontecer o fato, cedo ou tarde.

Outro exemplo é o inverno mais rigoroso dos últimos tempos no Hemisfério Norte e neve que não acaba mais, provocando acidentes nas ruas e pane nos transportes coletivos, além de óbitos.

Além das tragédias torrenciais como o de Angra dos Reis, o do São Luiz do Paraitinga e de Agudos, agora presenciamos mais uma vez, um terremoto (no Haiti) de proporções catastróficas. Muita gente acha que os terremotos são fatalidades que o homem nada tem a ver, mas eu penso o contrário. O homem pode contribuir sim para que os terremotos aconteçam com mais freqüência. E além disso, as ocupações irregulares e moradias fora dos padrões de segurança internacional podem contribuir para uma tragédia maior. O que mata não é o terremoto em si, mas as construções, principalmente quando não suportam tamanha força da natureza. E o sofrimento não é somente durante o terremoto e sim nos dias seguintes. Como um povo, que não têm estrutura e educação para lidar com tais emergências, vai sobreviver a um mar de caos imposta? Moradias destruídas, falta de comida e água, etc... Quem sobrevive, terá mais uma difícil etapa na luta de sua sobrevivência, além do emocional estar muito abalado. O terremoto de Haiti tinha o equivalente a 35 bombas atômicas de Hiroshima. O que um terremoto desses não causa tamanho estrago nos simples e miseráveis homens...

Nunca a 3ª. Lei de Newton foi tão verdadeira como nos dias de hoje. O que o homem age, a natureza reage.

O homem nunca vai vencer a força da natureza, mas poderia amenizar seu sofrimento se, para começar, estivesse ciente do estrago por interesses próprios, sem medir as conseqüências ambientais, principalmente. As chuvas atuais são um grande aviso ao homem de que o planeta está correndo um sério risco de “mutação”, se é que não está sofrendo agora.
Nossos pensamentos são os poderes que ingressam o rumo do planeta e através deles, criamos atitudes. E atitudes positivas geram hábitos corretos. E é por isso que escrevo novamente:
Nossa capacidade de fazer o mundo trabalhar para nós depende muito de nossa capacidade de trabalhar para o mundo…

OBS: Para quem tiver curiosidade, um link não-oficial com as estatísticas de terremotos nos últimos anos. [link]

Um comentário:

  1. A exploração dos recursos naturais, feita por conglomerados de empresas, em nome do desenvolvimento, sem a preocupação de repor tais recursos para amenizar os desequilíbrios, pode ser uma das causas da fúria natural. O que é lastimável, é que o Haiti, politicamente uma nação que acumula sofrimentos históricos, é mais uma vez penalizada por essas ocorrências. E com certeza, este sofrimento só está no início. A falta de dignas condições de vida e perspectivas pode piorar a situação na região ainda essa semana! Pense no Haiti! Reze pelo Haiti!

    ResponderExcluir