12 de mar de 2010

Artigo: NA HORA CERTA!

“Desculpe o atraso!”
Você já ouviu isto antes?
Claro que já, e normalmente acompanhado de um sorriso amarelo ou da mais absoluta cara de pau, como no caso dos atrasados contumazes.
As justificativas são variadas e vão do trânsito à dor de dente do filho. Verdadeiras ou não, a realidade é que não passam desculpas.
Cumprir prazos e horários nunca foi fácil. Requer esforço e disciplina.
Mas é possível e vale a pena.
O rigoroso cumprimento dos limites de tempo é um importante diferencial profissional e um fator que adiciona qualidade à vida.
Mais do que isto, honrar hora e data é uma manifestação de respeito para com aqueles que dependem de você para uma reunião, consulta médica ou passeio.
Já tive o desprazer de assistir a uma criança de quatro anos angustiada e dizendo: - Tá na hora da escola, pai! – a resposta foi: - Relaxa, fulaninho, não tem problema chegar dez minutos atrasado.
Este pai presta um enorme desserviço ao menino e à sociedade ao programar a mente de seu filho para um padrão crônico de atraso. O garoto pagará caro por isto no futuro.
Pontualidade pode vir a ser um aspecto forte de nossa cultura e isto depende essencialmente de você. O exemplo sensibiliza para a mudança.
Ao perceber sua pontualidade, seu colaborador, cônjuge ou filho começará a pensar em um novo padrão de conduta.
A esta altura, o cronicamente atrasado lendo este artigo, já começou a se justificar dizendo que nem sempre será possível cumprir horários.
Todos nós sabemos que imprevistos surgem. Acontece que, com disciplina, os atrasos serão exceção e não algo comum.
Trabalhei por onze anos em uma mesma empresa e nunca me atrasei. Já apresentei mais de seiscentas palestras e cursos e me atrasei uma vez, em sete minutos, por falha mecânica no veículo.
Sou uma pessoa diferente?
Não!
Mas disciplinadamente faço uso de uma técnica de gestão do tempo que pode mudar sua vida.
Que técnica é esta?
Simples!
Margens de segurança temporal!
Isto mesmo! Saia cedo de casa! Saia com bastante antecedência para os seus compromissos!
Algumas pessoas argumentarão: “Isto é má gestão de tempo, afinal você poderia ficar em casa fazendo outras coisas e sair no horário limite. Além do mais, se chegar muito cedo, não terá o que fazer em seu destino.”
Simples! Leve um livro, jornal ou revista!
Ler é excelente aplicação de tempo. Eu não saio de casa sem algo para ler.
O péssimo hábito do horário limite é uma armadilha e uma ilusão. Ele funcionará, se nada de diferente acontecer no caminho e o que não se verifica em muitas das vezes, ou seja, você vai se atrasar com razoável frequência.
Isto é constrangedor para você e injusto com aqueles que o aguardam.
Uma das maneiras de educar as pessoas neste sentido é ser muito firme com quem se atrasa. Não permita a entrada de atrasados na reunião e vá embora do local de encontro quando chegar o horário limite.
Este tipo de atitude produz estresse e você provavelmente será chamado de radical, mas os resultados aparecem, se pagarmos o preço inicial.
Naturalmente este rigor não fará sentido se não for, você mesmo, um exemplo de pontualidade. A primeira pessoa a educar somos nós mesmos.
O trânsito é ruim para todos e cada um tem desafios a enfrentar, a diferença é que alguns cumprem horários e outros não.
Desculpas não resolvem problemas, não produzem dinheiro e não enchem a barriga de ninguém. Com um pouco de inteligência e criatividade, posso “justificar” quase qualquer coisa, o que não me autoriza ao atraso.
Seu cliente, chefe ou esposa, não quer explicações, quer resultados. Esteja lá no horário e não vai precisar explicar nada.
Volto a repetir amigo, que eu sei e sei por experiência própria, que o hábito da pontualidade não é fácil, mas é possível e vale a pena.
Pense nisto e ajude a construir um novo Brasil que chega na hora certa!

Por: Alan Schlup Sant’Anna (escritor, palestrante, consultor, autor dos livros DISCIPLINA: O CAMINHO DA VITÓRIA e EQUILÍBRIO EM UM MUNDO DIFÍCIL)

ARTIGO PUBLICADO NO JORNAL GAZETA DO POVO EM 26.02.2010

4 comentários:

  1. Eu também acho que a melhor coisa que a gente faz é dar o exemplo.
    E nunca recomeçar tudo quando uma pessoa chega atrasada, isso é um desrepeito às pessoas que foram pontuais.
    Muita gente reclama que disciplina "sufoca", mas acho que ter o hábito de se planejar não mata ninguém e só tem a beneficiar a longo prazo.
    E pra finalizar, pessoas pontuais ganham crédito muito alto comigo.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com vcs e espero um dia conseguir ser pontual!! :)

    Eu tenho muito problema com cálculo de tempo!

    ResponderExcluir
  3. Não é novidade para ninguém que no Japão cumpre-se horários e chega-se com antecedência. Quer dizer, os japoneses. Porque alguns brasileiros apesar do tempo de permanência no país, ainda se atrasam diante de compromissos. Quando não, chegam no limiar da hora do encontro ou do início da jornada de trabalho. Sem dúvida, uma questão cultural. A cantora Byoncê, atrasou o início do Show no Brasil. Será que isso contagia? Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Sem sombra de dúvida, a pontualidade é essencial se quisermos criar não apenas uma boa relação no trabalho, mas sim, um mundo melhor, sempre respeitando o outro que espera sua chegada no horário.

    O brasileiro em geral (com boas exceções), infelizmente, ainda mantêm um péssimo hábito de se atrasarem até propositalmente, por achar que este estará sendo o "certinho" do grupo que poderia ser excluído na panelinha. E infelizmente, ainda não evoluimos nesse ponto. Mas ainda tenho esperanças de que isso vai mudar no futuro, observando sempre os belos exemplos de pessoas educadas, que respeitam o horário pré-marcado e principalmente a outra pessoa esperando.

    OBS: O Show do Guns n Roses em SP atrasou em uma hora e meia. Teve até direito de garrafada em Axl Rose. Acho que é influência brasileira que afetou o grupo, hehe.

    ResponderExcluir