30 de jul de 2010

Robôs de Segurança e de Informação


Embora nos últimos anos a segurança no Japão tenha melhorado em termos estatísticos, a chamada "sensação de segurança", que é o que as pessoas realmente sentem, parece ter piorado. A necessidade de atividades de segurança está aumentando e diversificando-se.

Em novembro de 2006, a empresa "Sohgo Keibi Hosho" (Sohgo Security Services Co. Ltd.) anunciou um novo sistema de presença permanente de segurança, chamado "Reborg-Q", no qual o robô de guarda e o de vigia trabalham em cooperação. O Reborg-Q é um robô para serviços de segurança permanente que opera em estabelecimentos comerciais e em edifícios de escritórios. O robô se encarrega de trabalhos repetitivos, seu ponto forte, e o vigia dedica-se a funções que apenas o ser humano realiza ou que necessitam de decisão. Este sistema visa elevar o nível de segurança através da cooperação entre o homem e o robô.


O robô de segurança faz a patrulha conforme as informações da rota antecipadamente definida. É equipado com câmeras de vigilância e sensores e se forem detectadas anomalias, o alarme será enviado por meio de LAN sem fio, para o equipamento de monitoramento de vigilância. O vigia, recebendo o aviso enviado pelo robô, verificará a situação do local em torno do robô através das imagens da câmera. O robô também pode realizar patrulhas automáticas em andares do prédio pelo elevador. E, quando terminar as patrulhas, ele automaticamente volta ao dispositivo de carregamento da bateria e faz recarga.Ademais, executa, ainda, várias funções:

1 - Função de extinção de incêndio - Ao detectar um incêndio, extingue-o por controle remoto.
2 - Função de intimidação - Se tiver suspeitas, emite um alerta, através de luz, mensagem de voz ou alarme sonoro entre outros.
3 - Função de informação - É uma função com recursos como videofone, que, se for apertado um botão no ombro do robô, é possível falar diretamente com o vigia. Além disso, através da manipulação do painel de toque, os visitantes podem conhecer livremente as informações sobre interior do estabelecimento.
4 - Função de fala - Oferece informações na linguagem previamente imputada. Pode suportar múltiplos idiomas, inclusive inglês e chinês (além do japonês, obviamente). Também ele pode falar livremente o idioma pela função de síntese de voz.
5 - Função de reconhecimento facial - Realiza reconhecimento de visitantes ou de determinadas pessoas consideradas perigosas, e é capaz de monitorá-los. O reconhecimento pode ser de pessoas previamente registradas, e possibilita emitir alerta aos vigias.


Atualmente, conforme as necessidades da sociedade em diversificação, estão sendo criados robôs com as tecnologias desenvolvidas, como os robôs especializados em informação e recepção em empresas. Ademais, a tecnologia robótica continua se desenvolvendo para que os robôs executem seus trabalhos de forma segura, certa e precisa na sociedade sem causar danos às pessoas.

É a tecnologia fazendo a interação entre máquinas e seres humanos.

Fonte: www.alsok.co.jp

4 comentários:

  1. Realmente percebe-se por aqui, que, a questão da segurança é uma prioridade atual e se intensifica. Mas ainda a mídia trata os casos de forma sutil. Por sua vez, o cotidiano revela casos de furtos e assaltos que há algumas décadas não existiam. Como também a ocorrência de homicídios. Parabéns ao Elton pelo alerta e postagem. Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário, Milton. Acredito que por aí a situação tem sido ainda um pouco controlada em questão de segurança, mas realmente percebe-se que tem aumentado o número de criminalidade no Japão. Quando olho o site do Webnews e do IPC, ainda fico triste com certos casos, especialmente vindo de brasileiros residentes no Japão.

    ResponderExcluir
  3. Puxa, aí é legal... Usar robôs para executar tarefas repetitivas e que não exijam tomada de decisão (pelo menos complexas).
    Apenas observo que sempre deve haver um procedimento de backup imediato caso dê pane nessas máquinas.
    Segurança é uma questão bastante crítica...

    ResponderExcluir
  4. Pois é. Mas acho que devem ter sim um sistema de backup, aliás, para todo tipo de equipamento envolvendo sistemas, deve ter sempre backups.

    ResponderExcluir