21 de set de 2010

Filme: Nosso Lar

O filme mais caro do cinema brasileiro, é também um dos mais arrecadados nas bilheterias brasileiras. Com investimentos altíssimos em efeitos especiais e visuais futurísticos, Nosso Lar despertou enorme curiosidade na plateia brasileira, aliando também à história descrita pelo espírito André Luiz, através da psicografia de Chico Xavier.

O cenário do filme é deslumbrante, mostrando paisagens belíssimas, com a natureza riquíssima envolta de “construções” imponentes e futurísticas, mostrando que nosso cenário está bem defasado em relação ao cenário descrito por André Luiz. Além da arquitetura em volta, a locomoção pública é através de uma aeronave denominada “aerobus”, que lembra o interior de um vagão do metrô do parque “Epcot Center”. O meio de comunicação entre eles e/ou com a Terra é da forma que a pessoa achar mais adequada, desde cartas escritas manualmente até comunicações digitais com direito a tela enorme para visualizar as mensagens escritas ou em vídeos. Mas o que faz a essência do cenário é a sociedade, onde os espíritos têm uma harmonia tão desenvolvida que somos correlacionados a realizar alguma atividade sem visar ganhar algo e também sem cobrar algum preço. Por exemplo, não existe “escambo” algum, mas a essência do trabalho e da caridade são os corações que move o mundo do Nosso Lar.

É claro, se não há merecimento em integrar-se nesse ambiente imediatamente, há o cenário oposto, denominado “Umbral”, onde espíritos sofredores vivenciam suas provações daquilo que realizaram negativamente na Terra, até pedir, de coração, perdão e ajuda. André Luiz, após o desencarne, viveu nesse local de imensa provação até conseguir provar que pode merecer mudar de ambiente.

Um fato curioso da descrição do filme é: se os espíritos no ambiente são livres, por que existem muros e portões ao redor da cidade?



Independente de ser ou não espírita, cada um deve analisar, pensar e avaliar sobre o filme, obtendo sempre uma crítica construtiva, questionando sempre. Mesmo quem não leu a obra de Chico, vale a pena conferir o filme, onde exibe-se uma urbanização e administração que poderiam inspirar nossa própria administração pública.

Inspiração no texto de André Trigueiro

5 comentários:

  1. Eu tava curioso pra ver esse filme, mas não disposto a investir num cineminha. Vou esperar passar na TV.

    ResponderExcluir
  2. Hum, na TV vai demorar um pouco para passar. Eu acho que vale a pena ver mesmo no cinema, por causa dos efeitos especiais feitos por nós, brasileiros, uóóóhh, hehehe

    ResponderExcluir
  3. Uia... Apesar de raramente ver filmes nacionais fiquei curiosa... Vou ver se arrasto alguém pro cinema! XD

    ResponderExcluir
  4. Vale a pena vê-lo. Não apenas pelos efeitos.

    ResponderExcluir