5 de mai de 2011

Computadores como Professores

E chegamos a mais uma eterna discussão entre ensino tradicional e ensino computacional.

Recentemente, o cofundador da Apple, Steve Wozniak, declarou que, um dia, um computador pode ser um professor, já que a tecnologia está chegando a um ponto em que os aparelhos feitos hoje em dia têm praticamente todos sensores presentes em seres humanos como visão, audição e movimento; e esses aparelhos poderiam se tornar uma espécie de “amigo”, muito mais que apenas tablets. Além disso, segundo Wozniak, os sistemas educacionais não se adaptaram às necessidades atuais das crianças, com escolas aderindo filosofias de ensino de cima para baixo, fazendo com que a escola, em si, é uma força muito restritiva sobre a criatividade. E ainda, quando as crianças vão às aulas, realizam as mesmas páginas nos livros, gastando as mesmas horas que todos os outros, sendo assim, cada criança não vai ao seu próprio ritmo. Se cada criança tivesse seu próprio computador como um professor personalizado, elas conseguiriam aprender com melhor rendimento e no seu próprio ritmo, diz Woz.

Sim, o computador tem um ponto positivo na educação, porque até então, o conceito de ensino era o professor despejar o conhecimento e o aluno aprender passivamente. Hoje em dia, quando o aluno tem a postura de buscar a informação que deseja, o aprendizado é muito facilitado, pois o aluno estará motivado para aprender com mais interesse. Entretanto, em minha opinião, o computador não pode substituir o professor “de carne e osso”. A função básica do professor, como indutor de um processo de educação/aquisição de conhecimento, sempre existirá, apenas mudará a forma de sua função se ministrar as aulas. E, interação humana (seja professor-aluno e aluno-aluno) no processo de ensino-pedagógico é mais que fundamental, coisa que a tecnologia apenas pode complementar e nunca substituir.

A criança de hoje é mais ativa, com televisão, video-games e até com seu próprio computador e está acostumada com coisas que acontecem rapidamente na frente das telinhas. Portanto, o computador é capaz de deixar a aula mais atraente e interativa. Além disso, o aluno pode explorar o que ele quer, na ordem em que desejar, enquanto na aula expositiva precisa seguir aquela linha de explicações. É claro que isso impõe moderação e cabe sim, aos pais essa educação.


O professor hoje precisa se manter atualizado, precisa buscar o apoio da informática para a sala de aula, não deve ter medo ou achar que o computador vai substituí-lo, precisa deixar esse preconceito de lado. Estamos vivendo um processo muito rápido, o professor que abrir mão desse conhecimento novo fica para trás logo e não estará ajudando o processo de ensino de seus alunos.

Ou você acha que a SKYNET poderá ser uma realidade? :)

3 comentários:

  1. Imagina estudar somente por um computador... Sem condições. Acho que o papel do professor não é só de passar as matérias, mas também de instruir e educar como cidadãos. Outro dia participei de um curso por teleconferência e achei horrível. Prefiro mil vezes assistir uma palestra com a pessoa bem ali na minha frente, dialogando e interagindo com o público.

    ResponderExcluir
  2. Lembra dos nossos professores da facul que não queriam que a gente usasse computador?
    Você já conhece o projeto patrocinado pelo Bill Gates, a Khan academy? Deixo o link:
    http://www.khanacademy.org/

    ResponderExcluir
  3. @Cacá: A gente ainda precisa de contato humano para uma boa educação e humanização do conhecimento. Ensino à distância pode ser uma ótima ferramenta... para complementar seus estudos, mas ainda não é possível substituir o ensino presencial, penso eu.

    @Kodi: Não conhecia esse link. Uma ótima iniciativa sim, mas que sirva como mais um material de estudos e não o meio principal em busca do conhecimento humanitário.

    ResponderExcluir