3 de out de 2011

J-Dorama (XVI): Engine

Uma estória, envolvendo cotidiano de um orfanato com a estória de um piloto de corridas é meio inusitado, mas é justamente que o dorama "Engine" envolve. Basicamente, conta a estória de um piloto de corridas chamado Jiroh Kanzaki (Takuya Kimura [1]), que já foi campeão em várias corridas na fórmula 3000, especialmente dentro do Japão. Entretanto, devido à sua personalidade egoísta e estourada, Jiroh acaba sendo demitido de uma equipe italiana, durante os testes de corrida pela Europa. Mais tarde, Jiroh tentava ingressar em uma grande equipe da Fórmula 1, mostrando seu currículo, mas sem sucesso algum. A partir daí, ele decide voltar ao Japão para tentar conseguir ser piloto da equipe japonesa em que lhe consagrou na carreira, mas o caminho é árduo.

Jiroh volta à sua família, na qual, seu pai tem aberto um orfanato para abrigar crianças e adolescentes sem condições de ficar com os pais. Porém, o pai de Jiroh tinha um certo desafeto e, muitas vezes, dava as costas a seu filho Jiroh, que, este, reencontra também, sua irmã mais velha Chihiro Kanzaki (Yuki Matsushita [2]).

No orfanato, há também uma professora chamada Tomomi Mitsukoshi (Koyuki Kato), que trabalha arduamente também como tutora das crianças, mas é meio atrapalhada de vez em quando. Ela cuida de 12 crianças/adolescentes do orfanato. Nem precisava dizer que Koyuki e Kimura são "o par romãntico" no dorama... Destaque para as personagens Misae Hoshino (Juri Ueno [3], [4]) e Harumi Hida (Erika Toda [5], [6], [7]).
(Offtopic - nessa época, Juri Ueno e Erika Toda ainda faziam personagens complementares, fica engraçado quando a gente vê primeiro doramas mais recentes e depois alguns mais antigos, como foi neste caso comigo. Nem preciso dizer que sou fã delas, né? rsrs)


"Engine" mescla uma pitadinha de comédia, mas sua essência é mais drama. Seu ponto forte é sua estória que ensina valores de persistência, luta e compreensão num cenário de cotidiano que envolve tanto as crianças do orfanato como os adultos. A corrida em si é apenas cenário físico nesse contexto, tanto que o que prevalece mesmo é o cenário do orfanato. É um dorama envolvente e até emocionante, com 11 episódios, rodado em meados de 2005. As crianças no dorama dão um toque emocionante e "kawaii" a mais nas estórias.

Tema de abertura e de fundo: "Angel", com a banda Aerosmith.
Tema de encerramento: "I Can See Clearly Now", com Jimmy Cliff.

6 comentários:

  1. É triste quando eles usam músicas americanas. Parece até que a produção musical deles não é gigantesca.

    ResponderExcluir
  2. Pra ser sincero, eu não ligo muito não, apesar de que preferiria ouvir Jpop no lugar. Mas até que combinou com o dorama. Agora o JUMP do Van Halen para Mr. Brain foi vacilo!

    Até parece que o Takuya Kimura gosta que tenha músicas americanas em suas novelas...

    ResponderExcluir
  3. Olá Ocho! Adoro saber o que você anda assistindo e é claro, ler sua opinião a respeito deles, ainda mais de uma trama que ainda não assisti. Já pensei em ver "Engine" umas duas ou três vezes, mas quando lembro que se trata de uma corrida de carros, acabo sempre deixando de lado. Quem sabe dou outra chance depois do seu comentário. Não sabia que a “Nodame” também saia nesse dorama. Fiquei curiosa pra ver seu desempenho nele.

    Ah, e lembrei que a abertura de "Pride" é do Queen (I Was Born To Love You). E em "Space Battleship Yamato", a música-tema era Steven Tyler (Aerosmith). Mas esse foi estratégico, para conquistar o mercado estrangeiro.

    ResponderExcluir
  4. Vale a pena assistir sim, Cacá. A "Nodame", apesar de ser personagem secundária, aparece até com bastante frequência, até mais que a Erika.

    Esse dorama acho que também tinha conotação de atrair o público estrangeiro, daí outro motivo de colocar músicas conhecidas internacionalmente.

    ResponderExcluir
  5. Gostei dos seus avatares, “Dick Vigarista”! Está caprichando na lista. Estou gostando de ver. E que foto é aquela da Nakama Yukie? Ela parece uma pessoa doce, mas aquele olhar na foto me dá medo rs. Assista o dorama “1 Pound no Fukuin” e você ficará caidinho pela Sister Angela (Kuroki Meisa) rs. Tenho que atualizar o meu do Chuck Norris & Cia.

    ResponderExcluir
  6. Ah, se você visse outras fotos das atrizes que achei, iria cair meio de costas, rsrsrs. Mas pra nós, homens, isso é bão demais.

    Mais um na lista, Cacá. Não sei se vou dar conta de ver tantas recomendações, rsrs. Me mostre depois o dia que atualizar o Chuck, rsrs.

    ResponderExcluir