18 de abr de 2010

Bastardos Inglórios

Uma rápida análise do novo filme do polêmico Quentin Tarantino. Bastardos Inglórios passa-se na época da 2a Guerra Mundial, onde os nazistas tiveram domínio quase que total na França e um grupo de rebeldes caçadores de nazistas, liderado por Aldo (Brad Pitt) tentam dizimá-los até chegar aos líderes.

Tema batido (mais um sobre nazistas), mas com uma pitada de ficção que Tarantino, famoso por suas criações, resolveu acrescentar; com isso a trama seguiu em um percurso, no mínimo, curioso.

Não quero deixar rastros de "spoilers", mas mais uma vez, apesar da trama prender atenção do telespectador e até ser inteligente e ter um elenco bom (não pelo canastrão Brad Pitt, e sim, pelo vilão principal do filme - não, não é o Hitler), o final foi um tanto estúpido. Ah, se aguentar ver cenas de pessoas sendo escalpadas, pode dar uma conferida.

Bom, não sou nenhum crítico de cinema, nem entendo sobre a arte do cinema, mas os filmes de Tarantino, a gente normalmente, fica com alguma certa expectativa, afinal, tudo se pode esperar de um filme dirigido por ele... Lembro que o post escrito é de minha opinião pessoal.

5 comentários:

  1. Eu ainda não vi esse filme, legal a dica, vou procurar pra assistir.

    ResponderExcluir
  2. Todo filme que mostra a crueldade de uma guerra e a insesatez de dirigentes sedentos de poder é bem-vindo. A humanidde precisa se conscientizar que este NÃO é o caminho para solução dos problemas. Valeu a dica! Abraços!

    ResponderExcluir
  3. POSTEI NO BLOG BR/JAPAN
    Prezado Elton, peço desculpas pelos inconvenientes em relação à postagem dos comentários. Por ironia do destino, justo na matéria JORNALISMO E DIREITO DE CRÍTICA. Outros leitores também têm encontrado dificuldade. Já fiz a notificação aos responsáveis pela parte técnica antes e, mediante ao ocorrido, reitero a solicitação. Confesso que até para responder aos internautas tenho dificuldade. Mesmo quando acesso a parte administrativa (interna) do blog. Realmente um problema que carece de soluções rápidas. A informação não pode ficar a reboque de problemas técnicos. Ainda mais porque o sistema sempre funcionou a contento. Aliás, neste aspecto o Portal Webnews merece crédito. Obrigado! Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Não assisti esse filme, mas lembro que perguntei pra um amigo que viu se era pior que Kill Bill em termos de violência e ele disse que não... Mas acabei nem vendo pq pela história a gente sabe como termina...
    Enfim... E eu prefiro ler opinião pessoal mesmo. ^.^

    ResponderExcluir
  5. O Tarantino cria uma violência muito explícita pro meu gosto. Ele deve querer fazer algo meio arte contemporânea, haha.

    ResponderExcluir