4 de jul de 2011

A Evolução dos eBooks

O conceito dos livros eletrônicos já era até meio antigo. No começo dos anos 70, já existia um projeto que pretendia digitalizar livros e oferecê-los gratuitamente. De lá para cá, principalmente a partir dos anos 90, começou realmente a realidade dos primeiros programas de livros digitais. Hoje em dia, o conceito de ebooks está ainda mais forte, com o surgimento e crescimento exponencial de dispositivos para lê-los, além de notebooks: os tablets.

Não tem escapatória; com a crescente acentuação na popularização dos tablets, os livros digitais têm dado um ar mais prático e confortável, além de não precisar ocupar espaços nas prateleiras, que, na boa, espaço físico é o que a gente têm disputado muito atualmente. E o usuários não precisam ter um "iPad" ou um "Xoom" para desfrutar dos ebooks. um simples "Kindle" ou um tablet "Xing Ling" já dá conta de armazenar os livros. E a grande maioria transforma os arquivos de documentos (pdf) em uma leitura mais agradável como se fosse folhear um livro. Sim, chega de ficar lendo pdfs apenas nos desktops ou notebooks.

Outra vantagem é seu peso. Um tablet não chega a ter um quilo, por isso, mesmo que o ebook tenha "mil páginas", é como se você carregasse um livro de poucas páginas. E o leitor pode ler deitado mais confortável do que se estivesse com um livro comum; não teria preocupação de desmarcar as páginas sem querer.

Claro, que nem tudo são flores num ebook no tablet. Tem a questão da tela luminosa poder "forçar" um pouco mais a vista do leitor; duração da bateria do tablet e dependência de um único equipamento centralizado para ler os livros (claro, pois se você perder ou quebrar o tablet e não ter feito backup dos ebooks num computador, aí f****). Mas aí, é questão de mudança de hábitos e de cuidados.

Recentemente, o Governo da Coreia do Sul estabeleceu um prazo para virtualização total dos livros escolares: até 2015! Sim, todos os alunos do país terão um tablet para carregar todos os seus ebooks didáticos, oferecendo praticidade e alívio principalmente na hora de carregar o material escolar. E muitas vezes, pode até dispensar o caderno, já que num tablet tem a opção de anotar num "bloco de notas" virtual, mas aí já é uma outra questão...

Estou lendo revistas e livros num tablet e a sensação é muito boa mesmo. E você tem a questão de poupar muitas e muitas árvores, evitando produção em massa de papéis para impressão de revistas e livros. Outra questão é uma vasta coleção de livros gratuitos que se têm disponível na internet. A Google, por exemplo, já disponibiliza já faz algum tempo, muitos ebooks gratuitos para baixar, e agora com a popularização dos tablets, fica bem mais agradável começar a pegar gosto de ler vários títulos gratuitos.

Entretanto, apesar de projetos como o do Governo da Coreia do Sul substituir livros didáticos físicos por ebooks, não creio que vá morrer de vez uma leitura clássica em livros em papel e capa. Não vai deixar de ter bibliotecas, muito pelo contrário. Acredito que os ebooks possam ser ferramentas complementares para a dinâmica da leitura e não substituições dos livros. Afinal, a leitura tradicional ainda tem muito charme e ainda é mais simples e direta.

Agora, para quem acha que ter uma sala de biblioteca em casa é "estiloso", "charmoso" e tem conotação de intelectualidade, saiba que esse pensamento já não tem tanto sentido neste século XXI. Em questões de meio ambiente e sustentabilidade, ter uma grande biblioteca particular em casa pode ter uma conotação negativa. Além disso, os espaços nos cômodos dos lares têm sido cada vez mais disputados e não seria inteligente ocupá-los com centenas e centenas de livros, com muitos deles já bem defasados que ninguém mais lê. Fora ainda o trabalhão enorme de manter tal ambiente limpo, livre de mofos e bichos...

Se você ainda não experimentou ler um ebook num tablet, vá até uma FNAC da vida e experimente. É uma experiência interessante, mesmo se você não domine muito de tablets.

4 comentários:

  1. Zé das Couves5/7/11 11:15

    Humm sabe o que penso de tablets?

    shiuuuuu shiuuuuuu
    (barulho de notas de 100R$)

    ResponderExcluir
  2. Pois é, parece bem prático e útil. Mas por enquanto, não penso em ter um desses justamente por causa do preço.

    ResponderExcluir
  3. Bom, os preços dos ipads e dos galaxy tabs são muito altos mesmo, mas existem genéricos xing ling bem conta. E esses xing ling dão conta para suportar os ebooks. Pra mim, voltou a ter uma boa dinâmica de leitura, intercalando livros físicos e revistas eletrônicas.

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda quero um ipad2. Mas vai esperar mais um pouco... XD

    ResponderExcluir