29 de mar de 2012

Aquecimento global? O problema é depois disso: o resfriamento global

De acordo com estudos recentes dos cientistas, o aquecimento global está muito próximo de se tornar irreversível, fazendo com que a temperatura do planeta suba em 6°C até em 2100. Se não tomarmos medidas urgentes ainda nesta década, a irreversibilidade será fato. Com o derretimento das calotas polares, as inundações nas costas litorâneas serão catastróficas e pequenas ilhas irão desaparecer. Mas, a consequência disso, a meu ver, será muito pior: o resfriamento global!



Sim, porque com o derretimento do gelo nos pólos, a água doce iria invadir o mar, diminuindo a quantidade de sal e, sem o sal, a água marinha não pode afundar e voltar para o Caribe, fazendo a corrente do Golfo parar de funcionar. O norte europeu não teria mais o verão e, a partir da Escandinávia, o gelo iria tomando a Europa ano após ano. Como o gelo é branco, reflete quase toda a luz do Sol, numa reação em cadeia que tornaria tudo cada vez mais frio.

Depois disso, o norte da Europa e países como o Canadá e Japão iriam se tornar os novos "Pólos Norte e Sul", assim como nos países do extremo hemisfério sul, como a Argentina e a África do Sul. Já os países na linha do Equador estariam com um clima mais temperado e tropical, fazendo com que a Amazônia se tornasse um grande cerrado e o deserto de Saara numa região com vegetações. o sul do Brasil estaria bem mais frio e o nordeste estaria com um clima mais fresco, acarretando uma enorme migração para as regiões mais à linha do Equador.

Mas, alguns podem questionar: o aquecimento vai vir antes, então, a Amazônia não existiria mais com as florestas. Sim, mas depois viria o resfriamento e com clima mais brando naquela região, apareceriam vegetações típicas de clima tropical, como o cerrado. As araucárias iriam aparecer em regiões do nordeste e neve seria corriqueira em São Paulo, Curitiba e Florianópolis, por exemplo.

Enfim, não há dúvida de que o aquecimento global é um problema realíssimo, mas com essa elevação de temperatura no âmbito global, decorrente das emissões em massa de dióxido de carbono e efeito estufa, há de se esperar uma enorme reação da Terra nas mudanças geográficas e climáticas, podendo alterar toda corrente marítima do planeta, causando situações climáticas irregulares com chuvas em demasia, com tornados e até mesmo com maremotos (tsunamis) e terremotos. Aliás, já estamos vivenciando aos poucos isso. Esse último inverno no hemisfério norte foi um dos mais rigorosos da nossa história, com uma duração maior que a média.

Entretanto, seja aquecimento, seja esfriamento, o mundo está em constante mudança e a ação do ser humano está contribuindo, mesmo por mínima que possa ser, para essa alteração digamos um pouco mais precoce.

Com referências aos textos dos sites Planeta Sustentável e iG.

2 comentários:

  1. Você leu alguma estimativa de prazos fora esse de agir dentro desta década? Tipo quanto tempo para aquecer e para resfriar.

    ResponderExcluir
  2. não dá para saber especificamente sobre prazos, mas cientistas estimam que em 10 anos, caso não haja uma diminuição da emissão de CO2, o aquecimento será sentido e sem volta.

    Mas, a gente já está sentindo bem aos poucos alguns eventos.

    ResponderExcluir