19 de fev de 2013

Game Nostalgia: The King of Fighters Series


Faz tempo que eu não comentava sobre games nostálgicos e, esses dias, me deu vontade de postar sobre tal tema. E quando ouvi uma música do "The King of Fighters 96", não tive dúvidas; é esse que vou postar. Não apenas a versão 96, mas a saga inicial que começou com a versão 94.


Street Fighter 2 e Mortal Kombat reinavam quase que absolutos no início dos anos 90. Mas a SNK, antiga produtora de games, principalmente de luta, estava no páreo, mesmo não obtendo tanto sucesso como nos dois jogos de luta mencionados acima. E, na verdade, antes de Street Fighter 2, a SNK tinha criado um game de luta chamado "Fatal Fury", que marcou uma era nos "fighting games", com magias mais poderosas e golpes especiais incrementados. Mas a SNK não teve o mesmo sucesso como os rivais, apesar de ter criado excelentes games de luta como "Fatal Fury 2", "Art of Fighting" e "Samurai Shodown". Mas foi, em 1994, que a SNK começou com uma nova inovação nos games de luta, que se chamou "The King of Fighters 94", ou simplesmente, "KOF94" ou "TKOF94". E a inovação consistia em escolher não apenas um lutador, mas um grupo de três lutadores que lutam contra outros três lutadores. Ganha o grupo que derrotar todos os três adversários.

Mas, a SNK aproveitou e colocou os principais personagens de seus games e reuniu-os em "KOF94", como o Terry Bogard e o Ryo Sakazaki (do Fatal Fury e do Art of Fighting, respectivamente). Começou, então também, uma saga de "crossovers" de personagens de outros games em um só. E o jogo detonava, com golpes especiais e secretos e com jogabilidade boa. Aí não teve jeito: o sucesso foi estrondoso entre os gamers e, em cada ano, surgia uma nova versão do game: KOF95, KOF96, etc... sempre incrementando e aperfeiçoando alguma coisa em cada novo game da saga.

Por exemplo: em KOF95, já era possível editar o grupo que iria lutar, em vez de sempre lutar com os mesmos grupos de três lutadores e sempre adicionando novos lutadores. Já em KOF96, o som também foi melhorado e o jogador podia também ter os golpes secretos mais fortes, unindo a barra de fúria (embaixo) no máximo com a barra de "life" piscando. Para mim, as músicas de KOF96 foram épicas com ótimos arranjos, como a música Esaka Team, que foi minha inspiração para este post. Mas também há a música épica do Geese Howard dessa versão que me marcou bastante, tanto que eu tenho os mp3 delas para ouvir no carro ou na academia.


E, para variar, a SNK sempre teve fama de fazer os chefões fod*** de serem derrotados, e a saga KOF não fica atrás. Derrotar Rugal, Goenitz e Orochi da vida eram tarefas árduas. Eu sempre usava dezenas e dezenas de "continues" para tentar chegar no final de cada série (no level normal, claro). Aquele golpe do Rugal estilo "shoryuken de perna" detonava uns 80% do meu life e o golpe secreto de Goenitz era infinito mesmo com life dele cheio. Enfim, essas artimanhas da SNK davam uma irritação grande.

A história da versão KOF97 foi a que mais me impressionou, junto de músicas excelentes. Talvez foi a que mais joguei da saga inteira. A versão KOF98 não tinha história (o que me decepcionou um pouco), mas a quantidade de jogadores era imensa, tanto que juntou quase todos os personagens desde 94 até este.

Eu joguei pra valer mesmo até a saga KOF99, pois, a partir daí, começou a ficar muito repetitivo pro meu gosto, apesar da SNK sempre incrementar uma e outra coisa, como um quarto lutador assistente. E as histórias, a partir de KOF99 começaram a ficar chatas, estranhas e com personagens esquisitos; mais um motivo de não me animar muito de continuar a jogar essa saga pós 99. Eu acho que a saga foi até o ano de 2010, com uma nova empresa administrando chamada "SNK Playmore". Infelizmente, a SNK pecou muito pela falta de originalidade dos games de luta, decretando uma certa "falência" da empresa. Tinha muitos jogos de luta, mas pouca inovação depois dos anos 2000.


Mas, enfim, a saga ainda está viva em várias plataformas de videogames e até em tablets e smartphones. Basta procurar e verificar a disponibilidade para cada gadget. Apesar da falta de inovação e de não marcar mais tanto atualmente, a saga KOF sempre será lembrada entre os gamers da década de 90 em diante.

Para encerrar, um link das aberturas da saga The King of Fighters desde o 94 até o 2003.

9 comentários:

  1. Zãaa King of Faita! *na voz da narradora*
    Po, eu me recordo da primeira vez que vi KoF94 num arcade. Era difícil de acreditar que tinham reunido tantos lutadores legais num mesmo jogo.

    Eu gravava músicas de games até em fitas k7 pra escutar no walkman, mas o grande impacto veio com o advento dos jogos em CD que melhoraram muito a qualidade. O que me marcou primeiro foi a trilha de Real Bout Fatal Fury Special para o playstation. A trilha é sensacional!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É essa voz dela: http://www.youtube.com/watch?v=5LqH0PMMumk

      KOF04 foi um marco na época. Eu joguei até chegar no Rugal, mas, pra que né? hehe Mas anos depois, eu jogava no Neo Geo, daí os vários continues que fiz.

      As trilhas sonoras de Samurai Shodown também me marcaram bastante. Tbm gravei tudo em K7 naquela época.

      Excluir
  2. Jogar em tablets e smartphones eu não encaro, mas um dia quero comprar um controle arcade e rodar um emulador no PC pra relembrar os bons tempos.

    Eu sequer chegava a enfrentar um dos chefes. Precisava de muita ficha pra treinar até esse ponto e eu não gostava de gastar mais do que duas por vez, haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me arrependi de ter "comprado" Street Fighter 4 e Marvel vs Capcom 2 para o iPad. Êta jogabilidade sofrível em touchscreen.

      Excluir
  3. Nostalgia mesmo,saudades da epoca em que a TKOF era boa.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo7/4/13 01:29

    nao esquecerei por resto de minha vida.... marcson a. marques.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KoF marcou também para mim. Só vou esquecer se eu ficar com Alzaimer talvez. rs

      Excluir