10 de out de 2015

Jurassic World


Depois da trilogia de Jurassic Park nos anos 90, a produtora veio com uma quarta produção: Jurassic World. Não vem ao caso aqui, descrever sobre o filme, e sim dar minhas "patadas" sobre ele.

Pode ser minha impressão, mas Jurassic World não me empolgou, apesar da crítica ter até elogiado, por se tratar de novo sobre a exploração dos (extintos?) dinossauros, mesmo depois das tragédias entre humanos e dinossauros ocorridas nos três últimos filmes. Basicamente, a estória envolve uma empresária-sócia de um parque de dinossauros criada numa ilha perto da Costa Rica que quer explorar a recriação dos mesmos junto de outros empresários. A irmã da mulher leva seus filhos ao parque para que esta cuide deles sendo entretidos pelas atrações do parque. Enquanto isso, o protagonista durão é o treinador dos velociraptor, que tenta adestrá-los como se eles pudessem ser na vida real... Uma equipe de laboratório continua pesquisando mais sobre criação e evolução dos dinossauros com a ganância do ser humano chega a ponto de criarem em laboratório, uma nova espécie mais terrível de tiranossauro inteligente, mas brutal para poder ganhar notoriedade e claro, fins mais lucrativos. Então, já viu que o desenrolar da estória vai dar mer**...


Como todo filme da saga de Jurassic Park, os efeitos especiais são praticamente perfeitos, com os sons dos rugidos de cada dinossauros ser reproduzido como se realmente estivessem vivos no filme, mas o fator clichê realmente é um quesito negativo para mim, com cenas "deja vú". Posso ser chato, mas, os filmes atuais hollywoodianos estão cada vez mais sem originalidade. A atuação dos atores são boas, mas com cenas de ação, realmente não tem muito que questionar, a não ser aquelas famosas cenas "marmeladas" que dão a sensação de "facepalm".

Enfim, Jurassic World é um filme na média dos antecessores, mas para um quarto filme, já meio que cansou esse tema. "Assistível", se você estiver de folga e tem curiosidade sobre o mundo dos dinossauros.




 

6 comentários:

  1. É, eu imaginei. Como eu ando dizendo, os roteiros americanos já ficaram batidos. Num tenho mais saco de assistir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá tudo com falta de originalidade. Ou então, é esse tipo de sequência de filmes que agradam o público em geral...

      Excluir
  2. Não fazem mais filmes marcantes como antigamente...o q dizer de "de volta para o futuro", "highlander", "os goonies", "os caça-fantasmas", "karate kid", "quero ser grande" e tantos outros não importando o gênero...que saudades dos anos 80...tanto em filmes qto em músicas...melhor época ever...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que vejo é "reprise" de franquias do passado, tendo repetir o sucesso do mesmo. Para a nova geração pode ser legal, se não tiver visto filmes dos anos 80, mas...

      Excluir
  3. Não assisti essa nova versão, mas costuma ser clássico elas não terem mais tanta graça. O tema já não é novidade, sem muitas surpresas, é como pintar um morango de azul pra ficar com cara de fruta nova...
    E só pela sua descrição já dá pra ter total noção da coisa... Fora da história já viajaram na maionese com essa história de adestrar raptors... E dentro da história não dá pra acreditar a que nível chega a estupidez humana. A humanidade sabe como se auto-extinguir como ninguém!
    E nossa, também tenho saudade dos anos 80/90...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, gostei dessa analogia do morango. :D

      Excluir