25 de abr de 2017

Game Nostalgia: Dynamite Dux (Master System)


Antes da popularidade dos famosos "beat en' ups" (briga de rua), existiam alguns games mais ou menos do gênero e, aqui, vale para o Dynamite Dux para Master System, apesar do tema "fofinho" com bichinhos.

Na verdade, aqui o protagonista, antes de virar um pato azul que possui um dos maiores socos que um pato possa ter, ele é na verdade, um garoto cujo sua namorada foi raptada por "monstrinhos" de outra dimensão e além disso, o menino foi transformado em pato e cabe a ele salvar sua namorada... (clichê básico da época). O pato atravessa várias fases e tem que derrotar vários outros "bichos" com seus socos e armas que aparecem durante as fases, como pedras, bazoocas, metralhadoras, etc. No meio de cada fase tem sub-chefes e no final, claro, um chefe para cada área. O pato não pode ser atingido pelos ataques e nem sequer tocar nos inimigos, pois perde barra de "life" e zerando a barra, perde uma vida. Em algumas partes, há bifurcações onde o jogador pode escolher o caminho de cima ou debaixo, mas sempre chegará no mesmo lugar ao final, por isso, a escolha é irrisória (mais para decorar qual caminho é mais fácil). Alguns inimigos "dropam" comida para recuperar parte de seu life e no caminho também se encontram baús, mas estes só servem para ganhar pontos.


Graficamente falando, Dynamite Dux é bom, porém peca por ter "flickerings" e lentidão quando acumula muita coisa na tela, prejudicando um pouco a jogabilidade. O som é aquele básico do Master System, não é surpreendente mas não chega a ser irritante. Sua dificuldade é mediana, sendo fácil no começo e aumentando sua dificuldade gradativamente ao passar de fases, e a jogatina é relativamente curta; dá para zerar o jogo em uns 20 minutos. A jogabilidade é regular e fica prejudicada pelo defeito da lentidão durante a tela com muitos inimigos ao mesmo tempo. Claro, com a limitação do Master System, a profundidade e a percepção de ângulo de visão é prejudicada em um jogo que você caminha em planos e não de forma linear, e durante os pulos, é difícil muitas perceber o pato pulando, pois a animação de pulo não existe: ele pula "duro" como se estivesse em pé normalmente. Apesar disso, a resposta nos controles é satisfatório sem muito atraso.


Na época tinha conseguido zerar o game morrendo umas poucas vidas e quando "rejoguei-o", aí vi que perdi a manha de jogatina da época e achei mais difícil zerá-lo agora (ou então estou perdendo a destreza nos games mesmo, tehehe). Apesar de eu não ter jogado a versão de arcade na época, com certeza, é melhor conferir Dynamite Dux na versão do fliperama para quem nunca jogou-o; Master System, apenas para os saudosistas.




2 comentários:

  1. Eu achei que era outro jogo pelo nome. Fui pesquisar e o que eu achava é o Dynamite DuKE.Que deve ser bem melhor que esse, haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha. E eu que achava que Dynamite Duke era sucessor do Dux :P

      Excluir