9 de abr de 2017

Game Nostalgia: Rainbow Islands (Master System)


Esse é um dos games que não conheci na época, mas, por indicação de um YouTuber que fez um vídeo sobre 10 melhores jogos do Master System, resolvi experimentar o game Rainbow Islands. Inicialmente, o game foi criado para os fliperamas pela Taito, uma das empresas pioneiras no ramo dos fliperamas ao redor do mundo na década de 80.

O game possui uma temática "fofinha", onde o personagem que o jogador controla lança arco-iris como arma e caminho para subir cada fase e os inimigos também são do estilo bichinhos, monstrinhos e objetos "fofinhos", dando uma temática bastante infantil. Entretanto, apenas a aparência do jogo soa infantil, pois a dificuldade é muito alta (aliás, quase todos os games de 8 bits da época eram difíceis para caramba). O objetivo é destruir os inimigos e coletar o máximo possível de itens para aumentar a pontuação e melhorar sua arma, que é o arco-íris. As fases são divididas em mundos e sub-mundos, igual ao Super Mário Bros. do NES, com a diferença que você precisa subir em vez de ir para a direita.



O esquema de jogo é atacar (com arco-íris) e pular. Encostou no inimigo ou foi atingido por tiro, perdeu uma vida e volta ao início de cada plataforma check-point. Porém, ao usar o arco-íris, cria-se um caminho para que o garotinho ande por ele e assim que vai jogando mais arco-íris, vai criando mais caminhos e subindo até chegar aos baús finais de cada sub-fase, com recompensas como sorvete, doces, chocolates, etc... No início, é meio complicado pegar o esquema do jogo, mas aos poucos vai se acostumando.


Os gráficos são básicos e não surpreendem e poderia ser melhor, já que é um game adaptado em 1993, onde o Master System já estava em declínio. Mas o pior é o excesso de "flickering" quando enche de arco-íris e de inimigos na tela, fazendo com que o game fique lento, atrapalhando um pouco a jogatina. O som também não é dos melhores, com muitos barulhinhos agudos para pular, atacar e atingir os inimigos do estilo som infantil. E as músicas também não são grande coisa. Já a jogabilidade não é ruim e tem boa resposta nos comandos, mas no esquema de jogo onde você pula em seu próprio arco-íris e de repente ela cai, fazendo você cair junto... até se acostumar assim...


O jogo é muito repetitivo e chega a cansar, ainda mais com fundo das fases não muito elaboradas. Eu joguei com "save states" e não consegui jogar de uma vez só, tive que parar um pouco, fazer outras coisas e depois voltar a jogar. Afinal, são 7 fases, cada fase com 4 sub-fases fora os chefões. E se eu não usasse "save states", eu teria morrido todas as vidas talvez na terceira ou quarta fase... claro, jogando na primeira vez. Mas acho que eu não iria ter paciência de jogar novamente... Pode ser que como eu não conheci Rainbow Islands na época, pode ser que a falta do fator nostalgia do jogo possa ter prejudicado meu gosto... mas para um jogo de 1993, que era já um dos últimos jogos do Master System ter um joguinho estilo anos 80, fica difícil recomendá-lo.



2 comentários:

  1. Eu me lembro desse. Parecia ser meu estilo de jogo. Esses graficos estão diferentes do que eu me lembrava. Talvez alguma diferença de versão pra master. Eu via em arcade e revistas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu confesso que não sou muito fã de games fofinhos, mas hoje em dia estou mais eclético. Porém, esse jogo não achei grande coisa, apesar da fama da saga bubble bobble. Enfim, foi apenas minha opinião que divergiu com a opinião do rapaz do YouTube.

      Excluir